60% da câmara dos deputados tem pendências judiciais

Sem títuloSerá votado nesta terça-feira (07), na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, o parecer de Marcos Rogério (DEM-RO), relator do processo que pede a cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da casa.

O documento aponta que o deputado quebrou o decoro quando afirmou à CPI da Petrobras que não possuía contas no exterior. Se aprovado pela maioria do colegiado, a votação irá ao plenário da Câmara.

E neste contexto é importante saber nas mãos de quais políticos está o assunto. E fato é que, das 21 vagas do Conselho de Ética, 12 deputados têm ocorrências judiciais na Justiça e/ou nos Tribunais de Contas ou Eleitorais – o que equivale a 57% do grupo.

E quando a analise é macro, o quadro fica pior. Dos 513 deputados, 299 possuem ocorrências judiciais, ou seja, 58% da Casa – lembrando que 76 deputados já foram condenados.

Os tipo criminais mais apontados nas ocorrências são corrupção eleitoral e improbidade administrativa (com quatro deputados cada), seguido por peculato (com dois congressistas). A Operação Lava-Jato também aparece nas ocorrências com um inquérito, aberto contra o deputado Nelson Meurer (PP-PR).