Foto: Reprodução (11.abr.2020)

O Palácio de Buckingham quebrou o silêncio nesta terça-feira (9) após a entrevista bombástica de Harry e Meghan concedida à Oprah Winfrey, dizendo em um comunicado, em nome da rainha Elizabeth, que as alegações sobre racismo feitas pelo duque e a duquesa de Sussex eram “preocupantes” e estariam sendo “levadas muito a sério”.

“A família inteira está triste em saber o quão desafiadores os últimos anos têm sido para Harry e Meghan”, diz a nota.

“As questões levantadas, especialmente as de raça, são preocupantes. Embora algumas recordações possam variar, elas são levadas muito a sério e serão tratadas pela família particularmente”.

A declaração ainda acrescenta: “Harry, Meghan e Archie sempre serão membros muito queridos da família”.

A resposta do Palácio de Buckingham vem mais de 36 horas depois que o duque e a duquesa de Sussex fizeram uma série de acusações contundentes na primeira entrevista à imprensa desde que deixaram de ser membros ativos da realeza e se mudaram para os Estados Unidos, no ano passado.

A entrevista mergulhou a realeza em uma crise. Algumas das alegações – incluindo acusações de racismo e admissão de Meghan de que ela teve pensamentos suicidas durante sua primeira gravidez – têm o potencial de impactar profundamente a reputação da família real e deixaram uma nuvem de suspeita sobre alguns de seus membros.

Leia em:

 

Uma fonte da realeza disse à CNN que a família esperou para responder até que a entrevista fosse ao ar no Reino Unido, para permitir que os telespectadores no país assistissem primeiro.

A fonte acrescentou que era importante para o Palácio de Buckingham considerar cuidadosamente a resposta antes de emitir a declaração.

Durante a entrevista, Harry e Meghan citaram a falta de apoio sobre a cobertura invasiva da imprensa e a decisão da instituição real de não dar um título ao seu filho Archie – e com isso a sua elegibilidade para proteção – como as bases para a decisão de se mudarem do Reino Unido.

A fonte também disse à CNN que no cerne da questão estava uma família que deveria tido a oportunidade de abordar essas questões em particular.

A fonte disse ainda que uma conversa entre a família real, Meghan e Harry deveria ter ocorrido em particular para tratar das questões levantadas pelo casal, em vez de se fazer em uma entrevista transmitida.

Diversidade, igualdade, inclusão e saúde mental são questões importantes e destacadas, que fazem parte do trabalho dos membros da família real há muitos anos, acrescentou a fonte.

O príncipe Charles apareceu em público na terça-feira pela primeira vez desde a entrevista e não respondeu às perguntas sobre o furor em torno de sua família.

“Senhor, o que achou da entrevista?”, um jornalista perguntou ao herdeiro do trono britânico e pai de Harry, enquanto ele visitava um centro de vacinação contra a Covid-19, em Londres.

Harry disse a Winfrey que seu pai havia parado de atender suas ligações depois que o casal anunciou que estava se afastando da família real, em janeiro passado.

No entanto, o duque acrescentou que consertar o relacionamento a tempo será “uma das minhas prioridades”.

Ele também sugeriu que seu relacionamento com o irmão, o príncipe William, estava abalado, dizendo que “a relação está distante no momento”.

Harry e Meghan também falaram para Winfrey sobre sua nova vida na Califórnia. O casal está esperando uma segunda criança, desta vez uma menina, que vai nascer neste verão.

Deixe uma resposta