A partir de agosto fica proibida a venda de lâmpadas incandescentes

1_lampadaDa redação

A partir do dia 30 de junho, os estabelecimentos, importadores e fabricantes que forem pegos vendendo lampadas incandescentes poderão ser multados. A fiscalização será feita pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

A medida visa minimizar o desperdício no consumo de energia elétrica. Uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75% em comparação a uma lâmpada incandescente de luminosidade equivalente. Se a opção for por uma lâmpada de LED, essa economia sobe para 85%.

Desde junho de 2012 a venda de lâmpadas incandescentes é proibida no Brasil. A mudança começou com a exclusão do mercado de lâmpadas com potência acima de 150 watts, depois foi a vez das lâmpadas entre 60W e 100W, em 2013. Em dezembro de 2014, foram substituídas as lâmpadas de 40W a 60W. O processo de substituição terminará em 30 junho deste ano, com a participação de unidades com potência inferior a 40W.