Acisa e demais entidades posicionam-se contra ajuste salarial dos parlamentares

Da redação

Como forma de enfatizar a necessidade de adotar medidas que resultem na redução de gastos do Executivo, Legislativo e Judiciário, e, sobretudo, de demonstrar indignação a respeito do reajuste salarial de 26,3% aos parlamentares andreenses, nove entidades de importantes setores da sociedade civil encaminharam uma carta ao presidente da Câmara Municipal de Santo André, Ronaldo de Castro (PRB), com cópia aos demais vereadores.

Assinaram a carta a ACISA (Associação Comercial e Industrial de Santo André), CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), REGRAN (Sindicato do Comércio Varejista e Derivado do Petróleo do ABC), SINCOR (Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo), SESCON (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Grande ABC), AEA (Associação dos Engenheiros e Arquitetos do ABC), SINDUSCON (Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado de São Paulo), SIPAN AIPAN (Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Santo André), e SETRANS (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do ABC).

 

 

Foi consenso entre as entidades o pensamento de que, em meio a recessão que afeta o País, “os vereadores parecem despreocupados com o fato, pois, se fossem compatíveis com o momento vivido, estariam trabalhando para ajudar o município a sair da crise”.