Acusação de Dilma entrega últimos argumentos

Da redação

O representante dos advogados responsáveis pela acusação de Dilma Rousseff já protocolou, no início da tarde de hoje (10), o documento na Secretaria-Geral da Mesa do Senado.

Apesar de não ter ido pessoalmente ao Senado, o jurista Miguel Reale Júnior, que, junto com os advogados Hélio Bicudo e Janaína Paschoal, é responsável pelo documento, confirmou, por telefone, que a acusação irá abrir mão de três das seis testemunhas a que tem direito no processo e sinalizou que no dia do julgamento final poderá até dispensar outras. Os nomes escalados pela defesa, também entregues hoje, já foram ouvidos pela Comissão Especial do Impeachment ainda na fase de admissibilidade do processo.

Além do representante do MPF (Ministério Público Federal) junto ao TCU (Tribunal de Contas da União), Júlio Marcelo de Oliveira, na lista entregue ao Senado estão o auditor federal de contas de controle externo do TCU Antônio Carlos Costa D’Ávila Carvalho e o auditor federal de controle externo da Secretaria de Macroavaliação Governamental do trinbunal Leonardo Rodrigues Albernaz.

Para defesa, o prazo para apresentação das alegações finais contraditando os argumentos da acusação termina na segunda-feira (15), mas a expectativa é que o advogado José Eduardo Cardozo se antecipe e entregue amanhã (11) no fim da tarde. Diferentemente da acusação, Cardozo pretende indicar as seis testemunhas a que também têm direito. Na última fase, o advogado não descarta a possibilidade de Dilma ir pessoalmente se defender no Senado.