Anatel não vai interferir no processo de recuperação judicial da Oi

Da redação

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não vai interferir, por enquanto, no processo de recuperação econômico-financeira da operadora Oi. Em nota, a Agência afirma que “confia no comprometimento dos agentes envolvidos e na capacidade do Poder Judiciário em encontrar a melhor solução para os problemas que motivaram o pedido de recuperação judicial e, na sua esfera de competência, contribuirá ativamente para o seu êxito”.

Ainda, segundo a empresa, “caso se faça necessário, adotará outras medidas objetivando a proteção do interesse público e dos direitos dos consumidores, bem como a estabilidade sistêmica do setor de telecomunicações brasileiro”.

A Oi entrou na 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio com um pedido de recuperação judicial da empresa, com um processo de total de dívidas que gira em torno de R$ 65,4 bilhões.

A Anatel relata que seu Conselho decidiu “adotar ações específicas de fiscalização que assegurem a manutenção das condições operacionais das empresas e a proteção dos usuários”. A Anatel encaminhará sua decisão ao juiz responsável pelo processo de recuperação judicial, por intermédio de sua Procuradoria.