Foto: André Anselmo/Futura Press/Estadão Conteúdo

Após o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) recomendar a suspensão do Campeonato Paulista, representantes da Federação Paulista de Futebol (FPF), do MP e do governo do estado se reuniram nesta quarta-feira (10), virtualmente, e decidiram seguir com a competição por pelo menos mais uma semana.

Nesta terça-feira (9), o Ministério Público de São Paulo recomendou a suspensão de eventos esportivos durante a fase vermelha no Plano São Paulo de combate à pandemia. O pedido foi feito pelo procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, ao governo de São Paulo.

Em nota, a FPF se disse contra a paralisação do estadual e, por meio do seu comitê médico, apresentou motivos pelos quais acredita que o futebol não representa risco mediante o agravamento da situação da pandemia.

A federação alega que os protocolos acordados entre clubes e governo estão sendo estritamente seguidos, que não há argumento científico que comprove a alegação de que o futebol profissional potencialize o número de casos e que, sobretudo, o esporte pode e tem sido uma ferramenta de conscientização da população no combate ao novo coronavírus.

CBF defende continuidade de competições

Alinhada ao posicionamento da FPF, a CBF, órgão máximo de regulamentação do futebol no país, realizou uma transmissão ao vivo no seu canal no YouTube, na manhã de hoje, com autoridades e especialistas em saúde e divulgou um relatório de efetividade do protocolo de segurança e combate ao novo coronavírus, defendendo a continuidade dos campeonatos que regula.

A previsão de início de todas as séries do Campeonato Brasileiro é para o último fim de semana de maio.

Com o avanço do número de infectados, de mortes e a falta de leitos de UTI no Brasil, três campeonatos estaduais foram paralisados: o de Santa Catarina, do Paraná e do Acre. Já no Cearense, jogos com sede na capital do estado estão proibidos de acontecer.

Uma possível paralisação em São Paulo seguirá em pauta nos próximos dias e, se acontecer, poderá ser a segunda em menos de um ano.

Em 2020, o congelamento do Paulistão durou quatro meses (de 16 de março a 22 de julho) e afetou o calendário dos times e federações.

Fonte: CNN

Deixe uma resposta