Aposentados podem ficar sem remédios na Argentina

Da redação

Cerca de cinco milhões de aposentados na Argentina podem ficar sem medicamentos ou ter de pagar um preço alto por eles.

Essa medida aconteceu devido a uma disputa de laboratórios e farmácias com a agência responsável pela assistência médica no país, cuja dívida soma 140 milhões de dólares (cerca de 490 milhões de reais).

A nova norma passou a valer a partir das 12h da última quinta feira (16) e afeta as unidades do PAMI (Programa de Assistência Médica Integral) em várias províncias.

A COFA (Confederação Farmacêutica Argentina) esclareceu que não é uma medida comercial, mas uma decisão que tende a fechar a torneira de uma dívida que “cresce a cada dia”.