Foto: Marcello Casal Jr/Divulgação

Com a possibilidade de o contribuinte brasileiro receber a restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), os bancos já oferecem uma linha de crédito para quem deseja antecipar esse dinheiro. Na prática, esse empréstimo funciona como um adiantamento no mesmo valor da restituição prevista pela Receita. Mas atenção: essa antecipação só vale a pena caso seja para pagar dívidas, segundo especialistas.

Segundo levantamento feito pelo CNN Business com os cinco maiores bancos do País, as taxas de juros cobradas nesta linha de crédito vão de 1,43% ao mês a 1,79% ao mês, e o montante pode chegar a 100% do valor da restituição.

Para Rodrigo Sivieri, professor de Finanças Pessoais na Trevisan Escola de Negócios, apesar da possibilidade, o contribuinte só deve considerar contratar essa antecipação da restituição do IR caso tenha dívidas em linhas de crédito mais caras, como o rotativo do cartão de crédito, ou em serviços essenciais, como água e energia elétrica em atraso, por exemplo.

“Primeiramente, é importante a pessoa identificar se ela realmente precisa do recurso e se tem um custo menor do que alguma dívida pendente que tenha uma taxa de juros maior, como cartão de crédito, despesa essencial, como energia elétrica ou água em atraso. Apenas assim será interessante tomar esse recurso”, disse.

Portanto, o contribuinte não deve fazer essa antecipação caso pense em consumir ou investir o dinheiro. Além disso, de acordo com Sivieri, se a tomada do recurso realmente for por necessidade, é necessário conferir se o pagamento da restituição realmente está previsto pela Receita. Se por acaso você cair na malha fina e ficar sem a restituição da Receita, vai ter que dar um jeito de pagar o empréstimo ao banco.

“Para satisfazer algum desejo momentâneo ou para comprar alguma coisa, com certeza essa linha não seria viável. Não será interessante tomar esse empréstimo. Além disso, cuidado. É essencial também identificar se a declaração está totalmente certa e se essa restituição está realmente OK no site da Receita”, afirmou.

Confira as condições dos bancos:

Banco do Brasil
Taxa de juros: 1,43% a.m.
Valor: até R$ 20 mil
Percentual: até 100% do valor da restituição

Bradesco
Taxa de juros: 1,79% a.m.
Valor: de R$ 200 a R$ 50 mil
Percentual: até 100% do valor da restituição

Caixa
Taxa de juros: não divulgado
Valor: não divulgado
Percentual: até 75%do valor da restituição

Itaú Unibanco
Taxa de juros: 1,67% a.m.
Valor: de R$ 200 a R$ 15 mil
Percentual: até 100% do valor da restituição

Santander
Taxa de juros: 1,65% a.m.
Valor: a partir de R$ 100
Percentual: até 100% do valor da restituição

Deixe uma resposta