Braskem fecha acordo com a Lava Jato

Da redação

A Braskem, braço petroquímico da Odebrecht em sociedade com a Petrobras, anunciou, na última quarta-feira (14), ter firmado um acordo de leniência com os procuradores da Operação Lava Jato, em que se compromete a pagar R$ 3,1 bilhões.

O montante será pago, a título de multa e indenizações, em etapas, sendo R$ 1,6 bilhão à vista e R$ 1,5 bilhão em seis parcelas anuais a partir de janeiro de 2018.

O acordo de leniência é uma espécie de delação premiada para pessoas jurídicas, e faz parte de uma negociação em conjunto da Odebrecht com autoridades do Brasil, Estados Unidos e Suíça – os países dividirão o valor.

No acerto, considerado o mais explosivo da Lava Jato, a Odebrecht se comprometeu a pagar uma multa de R$ 6,7 bilhões em 20 anos, valor que inclui o montante devido pela Braskem.

O dinheiro será dividido entre os três países, e o Brasil ficará com pelo menos 70% do total. A Justiça e o próprio Ministério Público Federal deverão homologar a leniência.

A Braskem é acusada de ter pago propina à políticos e executivos da Petrobras em investigações sobre suposto acerto de preços para a compra da nafta, a principal matéria-prima da indústria petroquímica.

Com esses acordos de leniência, o grupo empresarial garante o direito de continuar sendo contratado pelo poder público. Também terá retirado um entrave à contratação de empréstimos junto a instituições financeiras.

A Petrobras colocou à venda a sua participação societária na Braskem.