Câmara intaura sindicância contra Manoel Lopes

manoel-lopesDa redação

Na última terça-feira (21), o presidente da Câmara de Mauá, Marcelo Moreira (PT), oficializou a criação de uma comissão de servidores para investigar denúncia de suposto assédio praticado pelo vereador Manoel Lopes (DEM) contra uma funcionária da Casa.

De acordo com o advogado do vereador, Amilton Augusto Kufa, há ilegalidade na constituição da sindicância, uma vez que o decreto federal 201/67 não permite que autoridades políticas sejam investigadas por servidores e sim por vereadores.

Para o advogado, há uma confusão, pois o artigo 79 do Regimento Interno diz que após a apresentação da denúncia, na sessão subsequente a Mesa Diretora tem de colocar em votação no plenário, o que não ocorreu na última semana. Além disso, como o caso já foi rejeitado por unanimidade em plenário, a sua reabertura só seria possível se houvessem fatos novos, o que não há.