Início Política ABC Carla Morando apresenta ao Estado propostas para auxiliar setor têxtil e confecções

Carla Morando apresenta ao Estado propostas para auxiliar setor têxtil e confecções

Com a pandemia do Coronavírus, o setor têxtil e de confecções foi um dos que mais sofreu com a baixa econômica. O mercado apresentou um impacto de quase 65% na produção industrial, comparado ao mês de abril do ano passado. Para auxiliar o setor, a deputada estadual e coordenadora da Frente Parlamentar em pelo Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecções do Estado de São Paulo, Carla Morando (PSDB), protocolou, na última quarta-feira (10/06), um ofício à Secretaria da Fazenda e de Planejamento do Estado e também no BNDES, apresentando conjunto de propostas, que poderão auxiliar os empresários na retomada de investimentos.

 

Entre as medidas apresentadas estão: Programa especial de parcelamento do ICMS. Plano estruturado de refinanciamento de dívidas e tributos. Utilização de créditos fiscais, contabilizados pelas empresas, para pagamentos de tributos e fornecedores. E a Flexibilização documental para agilização dos processos de Regime Especial de ICMS.

 

O ofício foi formulado após reunião, realizada virtualmente, com o secretário Henrique Meirelles, o Coordenador da Administração Tributária- CAT-G, Gustavo Ley, a deputada Carla Morando, representantes do Sindtêxtil, Sindivestuário, Sinditec e da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (ABIT). E também os deputados membros da Frente Parlamentar.

 

“Além de deputada, também sou empresária. Sei que a pandemia causou sérios problemas na economia. Por isso, precisamos nos unir e juntos sairmos dessa crise. Realizei três reuniões. Primeiro com os representantes do setor, para entender a demanda. Depois com o presidente da Desenvolve São Paulo, Nelson Souza. E por último com o secretário Meirelles. As medidas que apresentamos, foram realizadas com consciência e responsabilidade, para auxiliar os empresários e também a economia do Estado”, salientou Carla Morando.

Durante a reunião virtual, o secretário da Fazenda e de Planejamentos do Estado prometeu analisar o documento. “Vamos olhar com toda atenção e entender o setor totalmente. Nós sabemos que ele é grande e todo impacto que ele tem. Emprega muita mão de obra, principalmente feminina, que é fundamental na sustentação da família. Isso tudo é muito relevante e evidentemente, daremos uma preferência”, disse Meirelles.

 

Já o presidente da Sindtêxtil, Luiz Pacheco, demonstrou estar esperançoso com a atenção do Governo do Estado. “ O setor Têxtil e de Confecções é responsável por quase R$ 176 bilhões na economia do Brasil, R$ 42 bilhões em São Paulo e 450 mil postos de trabalho no Estado.  Precisamos pensar e vencer essa batalha juntos”, afirmou Pacheco.

Deixe uma resposta