Chefão do Bayern veio ao Brasil para ver Gabriel Jesus; empresário admite conversas

Homem mais poderoso do futebol no Bayern de Munique, Michael Reschke está em território nacional desde a semana passada. E o diretor técnico do clube alemão veio ao Brasil para assistir de perto ao palmeirense Gabriel Jesus — acompanhou no estádio os jogos do Verdão diante do Grêmio e do Flamengo.

Atacante marcou gols nos dois jogos em que foi observado, um deles contra o Grêmio
Atacante marcou gols nos dois jogos em que foi observado, um deles contra o Grêmio

Reschke esteve no Pacaembu, na quinta-feira da semana passada, ao lado de dois empresários ligados a Gabriel Jesus e do italiano Giovanni Branchini, que atua como consultor do Bayern na América do Sul e tem ótima relação com Carlo Ancelotti, novo técnico do clube alemão.

Dono da maior fatia dos direitos econômicos do garoto de 19 anos, Cristiano Simões confirma o contato. “O Bayern fez uma sondagem. Vinte dias atrás, inclusive, visitei o clube em Munique e deu para ver que é uma infraestrutura fantástica.”

Sabendo que estava sendo observado, Gabriel Jesus marcou um gol diante dos gremistas e outro contra o Flamengo — teriam sido dois no domingo, mas o zagueiro César Martins pôs a mão na bola, causando pênalti.

O atacante, de 19 anos, já havia sinalizado a vontade de defender o Bayern de Munique ao incluí-lo em uma lista de cinco clubes com desconto para comprá-lo: além dos alemães, Barcelona, Real Madrid, Manchester United e PSG têm de pagar 24 milhões de euros como multa pela rescisão do contrato. Para os demais, o valor é de 40 milhões de euros.

Preço salgado:
Apesar de monitorar Gabriel Jesus desde janeiro, a Juventus não está convencida de que o atacante vale mais de 20 milhões de euros, como o Verdão tem sinalizado.

Venda programada:
Paulo Nobre não admite publicamente, mas já avisou os mais próximos de que a saída de Gabriel Jesus está dentro dos planos desde o começo do ano. Até por isso, Roger Guedes acabou contratado.