Cidades do ABC investigam morte por suspeita de Dengue

Da redação

Foto: Reprodução | Internet

As Secretarias de Saúde de Mauá e de Santo André investigam duas mortes ocorridas neste mês e que podem ter sido motivadas pela dengue. A doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, teve surto na região do Grande ABC no ano de 2015, quando foram registrados 7.403 casos autóctones (contraídos na própria cidade) e sete vítimas faleceram.

Em Santo André, um rapaz de 27 anos, que residia no Condomínio Maracanã, morreu no dia 09. De acordo com a Prefeitura, a suspeita é de que a causa da morte tenha sido a dengue devido aos sinais hemorrágicos do paciente antes do óbito. O material coletado foi enviado para o Instituto Adolfo Lutz para investigação. Também será avaliado, pelo exame, se a morte foi causa por febre maculosa, leptospirose e meningite. O prazo para o resultado é de cerca de um mês.

A Secretaria da Saúde de Santo André informou, ainda, que, antes de ser internado, no dia 08, no Centro Hospitalar Dr. Newton da Costa Brandão, o Hospital Dia, o rapaz apresentava queda das plaquetas, mas não havia queda dos leucócitos – quadro que ocorre com as vítimas de dengue. O paciente estava também com diarreia, o que não é um sintoma normal desta doença. Durante o período de primeiro de janeiro a 02 de setembro, Santo André registrou doze casos autóctones de dengue contra 314 no mesmo período em 2016.

Na cidade de Mauá, a morte é de uma mulher de 37 anos que morava no Bairro Sônia Maria e o caso ocorreu na segunda-feira (18). Os exames estão sendo analisados e, além de dengue, também está sendo levada em conta a hipótese de óbito por leptospirose, leishmaniose e febre mucosa. O resultado tem prazo de, aproximadamente, 30 dias. Desde janeiro, Mauá contabilizou três casos autóctones de dengue, enquanto houve 260 no mesmo período no ano passado.