Ciência sem Fronteiras vai ter foco no ensino médio

Da redação

O Programa Ciência sem Fronteiras vai passa por uma reformulação e terá novo foco no ensino de idiomas, no Brasil e no exterior, para jovens de baixa renda que cursam o ensino médio em escolas públicas. O anúncio foi feito nesta ontem (25) pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Segundo a nota, o programa também vai ampliar a oferta para cursos de pós-graduação, com ênfase em bolsas para professores e pesquisadores, com participação mais ativa das instituições de ensino superior. Não serão concedidas novas bolsas para estudantes de graduação.

De acordo com a Capes, o governo determinou uma minuciosa análise técnica do Ciência sem Fronteiras e identificou a necessidade de aperfeiçoamento do programa, especialmente na graduação.

De acordo com o Ministério da Educação, a atual gestão já liberou recursos financeiros de mais de R$ 1 bilhão para pagamento de bolsas e manutenção de estudantes no exterior. O MEC incrementou em 20,9% o orçamento do Ciência sem Fronteiras, a partir de crédito suplementar, passando de R$ 1,4 bilhão para R$ 1,8 bilhão, o que garante a continuidade do pagamento dessas bolsas. Os últimos estudantes selecionados pelo programa devem concluir suas atividades até o começo de 2017