Cientistas descobrem variações genéticas ligadas à depressão

Da redação

Foram encontradas novas evidências de um risco hereditário para a depressão e revelaram 17 variações genéticas ligadas ao transtorno depressivo maior (MDD).

A descoberta deverá aumentar a compreensão da biologia por trás do MDD e abrir caminhos para tratá-lo.

O MDD, mais conhecido simplesmente como depressão, é considerado um transtorno mental que a maioria dos especialistas acredita que seja causado por uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a depressão é uma das principais causas de invalidez no mundo todo, afetando cerca de 350 milhões de pessoas.

O transtorno pode causar mudanças de humor, fadiga e perda de sono e de apetite. O novo estudo é o primeiro a encontrar associações genéticas com o MDD entre pessoas de ascendência europeia. A única evidência de DNA encontrada anteriormente havia sido entre asiáticos.