Coluna: São Paulo fala em até cinco reforços; Yuri contra o ex-clube; Timão bravo com CBF; recorde no Allianz

Atacante Gilberto, livre do contrato com o Chicago Fire, está perto do Tricolor
Atacante Gilberto, livre do contrato com o Chicago Fire, está perto do Tricolor

A venda de Ganso para o Sevilla, a saída de Calleri para o futebol europeu e a perspectiva de negociar Rodrigo Caio vão fazer a diretoria do São Paulo ir ao mercado, conforme garante o vice-presidente de futebol do Tricolor, Alexandre Medicis, ao Blog. “Pretendemos contratar de quatro a cinco jogadores para o restante da temporada”, justifica.

Quatro posições estão definidas: lateral-direito, zagueiro, meia e atacante. O nome mais próximo de um acerto é o de Gilberto, ex-atacante de Portuguesa, Santa Cruz, Internacional e Chicago Fire, da Major League Soccer. Sem contrato desde o mês passado, Gilberto deve ser anunciado como reforço nos próximos dias.

O lateral dos sonhos é Buffarini, capitão do San Lorenzo nos tempos de Bauza. O nome de Diego Ribas, meia que está decidido a deixar o Fenerbahce, também agrada, mas é considerado caro. Outro alvo para o ataque é Milton Caraglio, argentino que pertence ao Tijuana, do México.

O Tricolor só se classifica para a final da Libertadores se vencer o Atlético Nacional por dois ou mais gols de diferença nesta quarta-feira, em Medellín. O placar de 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis. No Brasileirão, o time está a dois pontos do G4.

Antigo lar:
Contratado ao fim do Paulistão pelo Santos, o volante Yuri reencontrou nesta terça-feira o Palmeiras, clube em que jogou em 2014. Ele defendeu o sub-20 do Verdão por empréstimo e foi companheiro de Matheus Sales, Thiago Martins, entre outros.

Nova função:
Enquanto vestiu a camisa alviverde, Yuri não atuava como volante. “Ele jogava como um meia e já mostrava muita qualidade. É excelente jogador”, avalia Matheus Sales.

Engasgados…
Homem forte do futebol da CBF desde a contratação de Tite, Edu Gaspar ganhou alguns inimigos dentro do Corinthians nesta segunda-feira. Tudo por causa do acerto com Fábio Mahseredjian – o preparador físico vai trocar o Timão pela seleção no fim do mês.

…com o ex-parceiro
A revolta corintiana se dá porque o clube pretendia manter Mahseredjian em paralelo à seleção, mas Edu Gaspar teria forçado a barra para que o preparador físico ficasse exclusivo a serviço da CBF.

Recorde de público:
O clássico entre Palmeiras e Santos registrou o maior público da história do Allianz Parque: 40.045 pagantes, com uma renda de R$ 2,8 milhões. Até então, o recorde da arena alviverde era do jogo contra o Corinthians, também pelo Brasileirão, quando 39.935 pessoas pagaram ingresso.

Segundo lugar:
A audiência da final da Eurocopa, que terminou com título de Portugal, registrou 28 pontos de média – foram 21 na Globo e outros sete na Band. Esse número só não é maior do que o de um jogo no Brasileirão: Palmeiras 1 x 0 Corinthians, com 29 pontos, em junho.

Faxina lusitana:
A Portuguesa dispensou seis jogadores depois da derrota para o lanterna Guaratinguetá, no sábado: os atacantes Diego Gonçalves e Guillherme, os meias Carlos César e Formiga, o lateral-esquerdo Rodrigo e o goleiro Vinícius.