Como ficariam os preços dos carros mais vendidos no Brasil sem impostos?

Da redação

A carga de impostos sobre os automóveis zero quilômetro no Brasil é um assunto que sempre causa polêmica. Dentre as principais taxas que incidem sobre os carros estão o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), PIS (Programa de Integração Social), Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social), IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), Cide (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico) e ISS (Imposto sobre Serviços).

A soma desses tributos podem representar até 54,8% do preço final dos modelos feitos no País, de acordo com declaração feita no início deste ano pelo economista Luiz Moan Yabiku Júnior, ex-presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos) e atual diretor de assuntos institucionais da General Motors do Brasil.

Com base no ranking da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) dos carros mais vendidos do Brasil no acumulado até junho de 2016, calculamos como seriam os preços dos modelos mais emplacados no período, levando em consideração a carga tributária de 54,8%. Confira o resultado na galeria abaixo.

O Chevrolet Onix que acaba de ser reestilizado, passaria de iniciais R$ 44.890 para R$ 20.290

O Hyundai HB20, que parte de R$ 40.545, iria para R$ 18.327

O Ford Ka, com preço inicial de R$ 41.990, custaria R$ 18.979

O Volkswagen Golf, oferecido a partir de R$ 34.250, iria para R$ 15.481

O Fiat Palio, que parte de R$ 42.410, teria valor de R$ 19.169

O Toyota Corolla, com preço inicial de R$ 68.740, iria para R$ 31.070

O Honda HR-V passaria de iniciais de R$ 78.700 para R$ 35.572

A Fiat Starda, que parte de R$ 44.490, custaria R$ 20.109

O Volkswagen Fox sairia dos iniciais R$ 44.690 para R$ 20.199

 

Saiba mais sobre estes e outros modelos no Grupo Sinal, ou pelos comerciais abaixo: