Confira os lançamentos mais aguardados no Brasil em 2016

Da redação

fiattoropicapeToro (FIAT)
Após anos sem lançar modelos inéditos, a Fiat vem com novidades de peso em 2016. A primeira, que chega logo no início do ano é a picape “quase-média” Toro. Grande rival para a Renault Oroch, a Toro será produzida na fábrica de Goiana (PE), e terá a mesma base do Jeep Renegade. O conjunto mecânico, inclusive, será compartilhado. Inicialmente, deve contar com motores 1.8 flex e 2.0 diesel, este, aliado à tração 4×4. A picape terá 4,91 m de comprimento e capacidade de carga de 1 tonelada.

Assista aos comerciais da TV Mais, ou saiba mais sobre este e outros modelos aqui.

 

 

ford-edge-2016-3Edge (FORD)
O crossover, que deu as caras no Salão de São Paulo em 2014, só chegará em 2016 – quase dois anos após a revelação desta geração. Se os cromados em demasia são a marca registrada do modelo atual, o novo será um pouco mais discreto, com grade menor e lanternas posicionadas na horizontal.

Assista aos comerciais da TV Mais, ou saiba mais sobre este e outros modelos aqui.

16_accord_sedan_001Accord (Honda) 
Maior sedã da Honda no país, o Accord recebe o facelift do modelo americano. Ele chegou no começo do ano com faróis de LED, enquanto os dois filetes finos da grade dão lugar a uma única barra, mais grossa e cromada.

hondacivic2016_1Civic (Honda)
Se em 2015, o grande lançamento da Honda foi o HR-V, para 2016, as expectativas estão em torno da 10ª geração do Civic. O sedã, que é o vice-líder da categoria, bem atrás do rival Corolla, quer tomar a dianteira, e para isso, foi completamente reformulado. Entre as novidades, além do ousado visual, há um novo motor 1.5 turbo de 174 cv. Ele chega, já nacional, no segundo semestre.

Saiba mais sobre este e outros modelos aqui.

jac-t3-620


Altima (Nissan)

Rival de Ford Fusion, Toyota Camry e Honda Accord, o Nissan Altima  ganha nova geração no Brasil este ano. O sedã foi lançado em setembro de 2015 nos Estados Unidos, de onde a marca importa para o nosso mercado. Com o fim dos estoques (lá e aqui), a troca de geração deve ser feita. Nesta geração, o sedã ficou mais agressivo no visual, porém, o interior segue com traços mais conservadores.

Saiba mais sobre este e outros modelos aqui.