Corinthians pode trazer atletas da China

Tardelli (à esquerda) e Gil (centro) posam para foto ao lado do ex-corintiano Jucilei
Tardelli (à esquerda) e Gil (centro) posam para foto ao lado do ex-corintiano Jucilei

A notícia de que o Shandong Luneng vive uma de suas maiores crises na história causou expectativa no Corinthians. É que os dirigentes do clube brasileiro têm interesse em dois jogadores do lanterna do Campeonato Chinês: o zagueiro Gil e o atacante Diego Tardelli.

Por meio de um conhecido dos atletas, o Corinthians sondou a possibilidade de eles voltarem ao Brasil nesta janela de transferências. O contato, inclusive, foi anterior à postagem de Gil no Instagram admitindo saudade dos tempos em que defendia o Timão e falando de forma enigmática sobre a chance de voltar logo.

Apesar da alta folha salarial, uma das mais caras da China, o Shandong não vence desde 11 de maio. A série de tropeços causou a demissão de Mano Menezes e de toda a comissão técnica brasileira – foi Mano quem pediu a contratação, no início da temporada, de Gil, que custou R$ 40 milhões. Mesmo após a saída do treinador gaúcho, o clube não se encontra e soma dez jogos sem vitória, com cinco derrotas e cinco empates.

A pessoas próximas, Gil reclamou do clima de instabilidade. Ainda assim, seus familiares embarcaram para morar em definitivo na China depois da Copa América. Já Tardelli está no Shandong desde 2015 e parece menos impressionado com o momento ruim, embora esteja sendo mais aproveitado na Liga dos Campeões da Ásia. Ele foi eleito o melhor em cinco dos nove jogos que disputou no torneio.

A esperança corintiana em repatriar dois jogadores que ganham mais de R$ 1 milhão por mês de salário e custaram bem caro ao Shandong passa pela crise interna. O novo treinador, o alemão Félix Magath, deve indicar jogadores de confiança para serem contratados.

Boi Bandido de saída: Uma pessoa que trabalha no Shandong ouvida pelo Blog imagina que outros dois estrangeiros encabeçarão a lista de “dispensáveis”: o atacante Aloísio, ex-São Paulo, e o meia Montillo, ex-Cruzeiro.

Aloísio tem propostas do Changchun Yatai, da China, e de um clube dos Emirados Árabes. Já Montillo possui somente mais seis meses de contrato, o que torna uma rescisão bem mais barata.