Corinthians supera expulsão e vence o Palmeiras

Da redação

Foto: Jales Valquer / Agência Lancepress

Diante de condições adversas do clássico de ontem, o  Corinthians se moldou, cumpriu as ordens da comissão técnica e, com grande mérito de Fábio Carille, somou mais do que seis pontos. Cresceu como equipe.

Carille, mostrou tranquilidade para acalmar os ânimos no vestiário. O time estava revoltado com a expulsão do volante, e o treinador teve de fazer os jogadores colocarem a cabeça no lugar e se concentrarem no segundo tempo. Com 10 em campo, o time deixou o 4-1-4-1, adaptou-se em duas linhas de quatro, segurou a pressão palmeirense e, no final, foi premiado com um gol de Jô.

A pressão do Palmeiras, que teve 64% de posse de bola, foi sufocante, mas a marcação do Timão foi suficiente para evitar grandes chances de perigo. Com grandes atuações de Cássio, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana, Maycon, Léo Jabá e Romero no combate aos adversários.

Polêmica

O clima quente do dérbi entre Corinthians e Palmeiras não ficou restrito ao gramado da arena em Itaquera. No intervalo, enquanto jogadores dos dois times iam para o vestiário, houve uma confusão generalizada, que só não terminou em pancadaria por muito pouco.

Tudo começou quando dirigentes alvinegros pressionavam o árbitro Thiago Duarte no saguão que separa o campo dos vestiários. “Você errou”, “o quarto árbitro te avisou”, “todo mundo viu que não foi o Gabriel que fez a falta” foram algumas das frases do gerente Alessandro Nunes, entre outros, ao juiz, contestando a expulsão do volante alguns minutos antes.

Outra cena marcante após o jogo foi o choro do árbitro. Mesmo com a vitória, os corintianos voltaram a cornetá-lo e assistiram a Thiago Duarte indo às lágrimas. O principal dirigente alvinegro também avisou que pedirá o veto de Thiago Duarte nos jogos de seu time a partir de agora. “Isso é o mínimo que eu posso fazer!”