CPTM e Metrô podem entrar em greve nesta terça-feira

2125
Funcionários da CPTM não entram em acordo com Companhia

Da redação

Após mais uma tentativa de conciliação, o TRT (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região) informou na manhã desta segunda-feira (23), que não houve acordo entre as partes: CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e os quatro sindicatos (Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana, Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil, e Sindicato dos Engenheiros) que representam os trabalhadores.

Durante encontro conduzido pelo vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, desembargador Wilson Fernandes, A companhia retirou da mesa a proposta feita no encontro anterior, de 10,44% em duas parcelas. A nova oferta é de 7,5% sobre salários e benefícios, retroativos a março de 2016, sem equiparação de benefícios aos valores pagos aos metroviários.

Diante da falta de acordo e possibilidade iminente de uma paralisação, Fernandes determinou a manutenção de 80% do efetivo de maquinistas. Em relação aos demais empregados, o contingente é de 60% nos horários de pico (entre 4h e 10h e entre 16h e 21h) e de 50% nos demais horários. A liminar proíbe ainda liberação de catracas. Em caso de descumprimento, há previsão de pagamento de multa diária no importe de R$ 100 mil. Fernandes concedeu prazo de 24 horas para apresentação de defesa e documentos. Na sequência, o processo segue para análise do Ministério Público do Trabalho e, depois, para o relator sorteado. Será então agendado o julgamento.

Conforme o vice-presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, Mauricio Alves de Matos, a categoria vai aguardar até às 18h desta segunda, uma possibilidade de a CPTM reverter a proposta para os 10,44%. “Os trabalhadores estão revoltados com a companhia. As linhas já funcionam abaixo dos 90% de capacidade, então, com a greve, a situação vai ficar ainda pior”, explicou. Na página oficial do sindicato está publicada uma carta à população avisando sobre a greve, que deve começar à zero hora desta terça-feira (24/05).

Os trabalhadores pleitearam inicialmente um aumento de 11,08% em salários e benefícios. E a primeira proposta da CPTM era reajuste de 5,22% nos salários, que seria concedido em duas parcelas.

METRÔ:

Os metroviários também vão realizar assembleia para decidir possibilidade de greve nesta terça. Eles acusam a companhia de não negociar com os trabalhadores que pedem 10,82% de reposição de inflação mais 6,59% de aumento real; Vale Alimentação de R$ 487,27 e Vale-Refeição de R$ 34,33. O sindicato também diz que é contra privatizações no sistema.