Cunha favoreceu Odebrecht em financiamentos

16189243Da redação

Segundo depoimento do ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto, à Lava Jato, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tinha relação de “bastante proximidade” com a Odebrecht.

Em sua delação premiada, Cleto afirmou que o deputado recebeu R$ 42 milhões de propina da obra do chamado Porto Maravilha, maior intervenção de reurbanização do Rio de Janeiro por causa dos Jogos Olímpicos, que foi tocada pelo consórcio formado por Carioca Engenharia, Odebrecht e OAS.

O delator contou que, além de Cunha, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, chegou a cobrar rapidez no aporte para a obra, mas Cleto não fez considerações, em sua delação, sobre uma possível participação do prefeito no esquema.

Cunha é alvo de inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) que investiga um esquema de corrupção envolvendo o empreendimento.