Despoluir a Baía de Guanabara levaria no mínimo 25 anos

Da redação

baia de guanabara
Baía de Guanabara poluída Foto: Divulgação

O secretário do Ambiente do estado do Rio de Janeiro, André Correa, disse hoje (20) que não é possível deixar a Baía de Guanabara em condições adequadas em menos de 25 anos. A meta de despoluir 80% da baía até a Olimpíada era muito ousada e mal colocada, pelo que ele avaliou como um erro de comunicação, disse ele em coletiva à imprensa.

Além disso, para resolver os problemas de despejo de esgoto na Baía de Guanabara seriam necessários mais R$ 20 bilhões para executar os planos municipais de saneamento das cidades que circulam a baía.

Alguns erros de planejamento e de comunicação fizeram com que o governo caísse em descrédito com a população sobre o tema. Ele lembrou que há 20 anos, quando o governo do estado obteve um empréstimo de R$ 2,5 bilhões, houve a promessa de que essa quantia seria suficiente para solucionar o problema, o que não ocorreu.

Em crise, o governo do estado não tem condições de arcar com os R$ 20 bilhões necessários. Para Correa, a única solução seria recorrer a parcerias público- privadas, o que também pode ser difícil pela situação econômica do país. “É a única saída que a gente tem. O estado não tem recursos para fazer isso”.

Para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, no entanto, o secretário afirmou que a qualidade da água não preocupa, porque as quatro raias de competição no interior da baía têm condições próprias para o contato humano.