Detran.SP orienta como tirar a CNH de forma segura

Da redação

Foto: Divulgação

No Estado de São Paulo, em média, 700 mil pessoas tiram a habilitação por ano. Se você pretende se juntar a elas e se habilitar a dirigir mundo afora, é importante ficar atento às dicas do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo para ter uma boa formação. É recomendável pedir referências a conhecidos, verificar se o estabelecimento é regular e ler atentamente o contrato antes de fechar negócio.

Atualmente, custa, em média, de R$ 2.000 a R$ 2.200 obter uma habilitação na categoria AB (moto e carro), segundo o Sindicato das Auto Moto Escolas e Centros de Formação de Condutores do Estado de São Paulo. Desse total, pouco mais de 5% (R$ 110,31) são de taxas do Departamento de Trânsito. Todo o restante é pago diretamente aos prestadores de serviço, como autoescolas, médicos e psicólogos.

As autoescolas seguem a livre demanda de mercado e os preços que cobram não são tabelados. Desse modo, o Detran.SP não pode interferir na relação comercial firmada entre o estabelecimento e o cliente. Caso o cidadão se sinta prejudicado comercialmente, ele deve acionar os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon ou a Justiça.

Pela legislação federal de trânsito, válida em todo o país, o processo de habilitação prevê a realização de exame médico e avaliação psicológica, 45 horas de aula teórica, prova teórica e 25 horas de aulas práticas de direção veicular para a categoria B (carro), sendo cinco no período noturno. No caso da categoria A (moto), são 20 horas de aulas práticas, com quatro noturnas. Por fim, é preciso fazer exame prático de direção na categoria pretendida.

Além disso, quem vai se habilitar a dirigir carro, deve fazer, obrigatoriamente, parte das aulas práticas no simulador de direção veicular, conforme determina norma federal em vigor desde o fim de 2015. Do total de 25 horas de aprendizagem, cinco devem ser feitas no equipamento, sendo que uma simulará o ambiente noturno e as demais o diurno. Opcionalmente, o candidato pode fazer até oito aulas no simulador, sendo quatro simulando o ambiente noturno e quatro, o diurno.

A fim de coibir fraudes e irregularidades no processo de habilitação, o Detran.SP fiscaliza regularmente autoescolas, médicos e psicólogos credenciados, além de locais de exames práticos. Uma das ocorrências mais comumente flagradas pelas equipes de fiscalização têm sido aulas abertas no sistema e-CNHsp –por meio do qual o órgão faz o rastreamento de todas as etapas do processo de habilitação– que não estão efetivamente sendo ministradas.