Eleições municipais: Veja o que pode e o que não pode ser feito por eleitores

Da redação

Foto: Internet
Foto: Internet

A campanha eleitoral segue até o dia 1º de outubro às 22h, um dia antes da votação do primeiro turno. Se a decisão for encaminhada para o segundo turno, as campanhas terminam no dia 29 de outubro, um dia antes da definição dos mandatários.

O que é permitido ao eleitor:

Doar a candidatos ou partidos até 10% da sua renda bruta, por meio de transferência para conta oficial ou cartão de crédito pelo site oficial da campanha, além de poder prestar serviços grátis à campanha.

Participar da campanha eleitoral, de acordo com as regras a respeito de propaganda nas ruas e na internet que foram estipuladas aos candidatos.

Emprestar móveis ou imóveis para uso dos candidatos, que tenham valor de no máximo R$ 80 mil;

Manifestação singular e silenciosa de qual partido escolheu, durante o dia da votação. Bandeiras, broches e adesivos são permitidos.

Divulgar pensamento de forma pública, incluindo a internet.

O que não é permitido ao eleitor: 

Cobrar pela colocação de propagandas em seus bens móveis e imóveis, além de trocar voto por dinheiro ou bens como cesta básica, atendimento médico, cirurgias e empregos, etc. Além de obter dinheiro ou favorecimento para fins de voto.

Impedir, inviabilizar ou dificultar a propaganda em locais permitidos. Além disso, a ridicularização dos candidatos de qualquer forma é proibida.

Os servidores públicos que desejam trabalhar na campanha eleitoral não podem fazê-lo durante o expediente.

Boca de urna divulgando ações de partidos ou candidatos utilizando alto-falantes, comícios ou carretas.