Elize tem pena decretada

Da redação

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A justiça de São Paulo condenou, na madrugada desta segunda-feira, a bacharel em direito Elize Matsunaga a 19 anos, 11 meses e um dia de prisão em regime fechado. Ela foi considerada culpada pela morte do marido, Marcos Kitano Matsunaga, em 19 de maio de 2012. Elize deu um tiro na cabeça da vítima e posteriormente cortou o corpo em sete partes, dentro do apartamento do casal, na zona oeste da capital paulista. O julgamento, que começou na segunda-feira passada, durou sete dias e consumiu mais de 70 horas no plenário do júri.

Das três qualificadoras contidas na denúncia, apenas uma foi aceita: a de recurso que impossibilitou a defesa da vítima (tiro a curta distância, de cima para baixo). As outras duas, motivo torpe (vingança pela traição do marido e interesse financeiro) e meio cruel (degola da vítima ainda em vida) foram rechaçadas pelos jurados.

Depois do crime, Elize colocou as partes em sacos plásticos e as transportou em três malas, que foram abandonadas em Cotia, na Grande São Paulo. Ela está presa em Tremembé, no interior do Estado, e já cumpriu quatro anos e meio de pena.