Em dois meses, caixas coletoras instaladas no Paço de Santo André recolhem 22.500 bitucas de cigarro

Da redação

Instaladas desde o dia 23 de outubro no Paço Municipal de Santo André, em parceria com a empresa Poiato Recicla, as dez caixas coletoras de resíduos de cigarro tiveram sua terceira coleta feita na tarde da última sexta-feira (15). O projeto piloto chegou à marca de cerca de 22.500 bitucas depositadas em quase dois meses, o que equivale a 10,5 kg de resíduos reciclados. Inédita na região, a iniciativa faz com que as bitucas, muitas vezes descartadas no chão, tenham reutilização e sejam transformadas em celulose, matéria-prima do papel.

Cada cigarro tem cerca de 8.680 substâncias tóxicas. Segundo a Poiato Recicla, a cada duas bitucas descartadas na água, um litro é contaminado. Desta forma, só com a reciclagem feita no Paço de Santo André, foi evitada a poluição de aproximadamente 11.500 litros de água.

O projeto funciona a custo zero para os cofres públicos. Em um primeiro momento, em fase de teste, os coletores estarão fixados por 90 dias, mas a expectativa é que o prazo seja renovado. As bitucas de cigarro depositadas nos dez equipamentos em Santo André são transportadas para uma usina de reciclagem em Votorantim. Por lá, o material é pesado, reciclado e transformado em celulose. A massa celulósica produzida pela empresa é destinada para a Oficina de Artes Visuais Poiato Recicla – SESI, para produção de polpa e posteriormente em papel artesanal com finalidade educativa. A estimativa da empresa é que com, entre  35 a 50 bitucas de cigarro, seja possível produzir uma folha de papel do tipo A4.

O projeto piloto feito em parceria com a Poiato Recicla é uma iniciativa da secretaria de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego, ao lado da secretaria de Meio Ambiente. A intenção da administração é que posteriormente mais lixeiras coletoras sejam instaladas na cidade em pontos comerciais, como a rua Coronel Oliveira Lima.