Em São Bernardo, operação Noite Tranquila completa 1 ano

Maior ação de combate a pancadões e bailes funks da história de São Bernardo, a operação Noite Tranquila, deflagrada pela Guarda Civil Municipal (GCM), completou no último domingo (13) um ano de atuação incisiva contra festas irregulares, que ameaçam o sossego e o direito ao descanso da população.

A estratégia de atuação tem funcionado. Entre maio de 2017 e o mesmo mês de 2018, foram 11.983 abordagens a indivíduos suspeitos, 1.861 intervenções e ações de fiscalização em bares, lanchonetes, estacionamentos e galpões, sendo 102 locais interditados pela Vigilância Sanitária e 89 lacrados por ausência de alvará.

No período, também foram aplicadas 3.688 multas – por som acima do nível aceito e por infrações de trânsito –, e realizadas 797 apreensões de armas, veículos roubados, máquinas caça-níqueis, aparelhos sonoros e drogas (cocaína, maconha e flaconetes de lança-perfume). Entre os autores das irregularidades, foram 55 adultos presos e 31 menores apreendidos.

A operação vem sendo realizada de forma ininterrupta desde o seu lançamento, em locais definidos previamente pelo comando da GCM, por meio de denúncias da população e por meio dos serviços de inteligência da guarda e da Polícia Militar (PM). O objetivo é percorrer todos os bairros da cidade, com foco nas regiões que recebem maior número de reclamações como Jardim Calux, DER, Alves Dias, Parque São Bernardo, Rudge Ramos e Centro (Avenida Kennedy e Prestes Maia), entre outros.

O canal para o registro de queixas de volume excessivo e demais atividades nas quais forem constatadas atividades ilegais é o telefone 153 da GCM e o 190 da PM. Em um ano, foram recebidas cerca de 3 mil denúncias de moradores.

Além das corporações policiais, a operação Noite Tranquila também é composta por agentes da Vigilância Sanitária, secretaria de Planejamento Urbano (fiscais de obras), secretaria de Serviços Urbanos (fiscais de Posturas) e da secretaria de Transportes (agentes de trânsito).