Foto: Bruno Rocha / Enquadrar / Estadão Conteúdo

A estação Luz da Companhia Paulista de Trens metropolitanos (CPTM) registou aglomerações e filas na manhã desta segunda-feira (15), primeiro dia do estado de São Paulo na fase emergencial da quarentena.

Logo nas primeiras horas de funcionamento da estação, centenas de pessoas se aglomeravam na plataforma.

Na semana passada, quando foi anunciado o endurecimento das regras da fase vermelha, o governo de São Paulo recomendou escalonamento do horário de entrada de funcionários da indústria (das 5h às 7h), do comércio (das 9h às 11h) e do setor de serviços (das 7h às 9h) para evitar aglomerações.

Entretanto, usuários do transporte público seguem enfrentando lotações.

Estação da Luz, no Centro de SP, na manhã desta segunda (15) — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Estação da Luz, no Centro de SP, na manhã desta segunda (15) — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Nesta segunda (15), todas as regiões do estado entraram na fase emergencial do plano de flexibilização econômica, que limita ainda mais o funcionamento dos setores na cidade.

A expectativa do governo é a de reduzir a circulação de 4 milhões de pessoas.

A medida foi tomada pela gestão de João Doria (PSDB) para conter o avanço do número de casos e mortes provocadas pelo novo coronavírus.

O que pode funcionar na fase vermelha emergencial

  • Escolas abertas apenas para oferta de merenda
  • Hospitais, clínicas, farmácias, dentistas e estabelecimentos de saúde animal (veterinários)
  • Supermercados, hipermercados, açougues, lojas de suplemento, feiras livres.
  • Delivery e drive-thru para padarias das 20h às 5h; no restante do dia, funcionamento normal
  • Delivery para bares, lanchonetes e restaurantes
  • Cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis
  • Empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos
  • Serviços de segurança pública e privada
  • Construção civil e indústria
  • Meios de comunicação, empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens
  • Outros serviços: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais

O que não pode funcionar na fase vermelha emergencial:

  • Academias
  • Igrejas e atividades religiosas
  • Campeonatos esportivos
  • Salões de beleza
  • Cinemas
  • Teatros
  • Shoppings
  • Lojas de rua, incluindo lojas de material de construção
  • Concessionárias
  • Escritórios
  • Parques
  • Clubes
  • Praias

G1

Deixe uma resposta