Facebook quebrou regras e deve ser regulado, dizem parlamentares do Reino Unido

Um comitê parlamentar britânico repreendeu o Facebook em uma novo relatório que apela por regulamentação e escrutínio intensificado das empresas de mídia social.

O relatório pede a criação de um código compulsório de ética para as companhias de tecnologia, a fim de lidar com conteúdo nocivo ou ilegal em seus sites. Também apela pela criação de uma agencia regulatória independente com o poder de tomar medidas legais contra companhias que violem o código, e de impor multas pesadas.

Grandes sanções do relatório foram dedicadas a criticar o Facebook, segundo os parlamentares violou deliberada e conscientemente tanto as leis de defesa da competição quanto as leis de proteção da privacidade, na forma pela qual trata os dados dos usuários e em seus esforços ara tentar sufocar o desenvolvimentos dos concorrentes.

O relatório expande recomendações anteriores do comitê, publicada em junho, e surge depois de um inquérito de meses de duração sobre as empresas de tecnologia e questões de privacidade, desinformação e o poder de suas plataformas, na esteira do escândalo envolvendo a consultoria de dados políticos Cambridge Analytics e seu acesso a informações sobre usuários do Facebook.

O comitê também divulgou um novo conjunto de e-mails do Faebook, depois que uma leva anterior, divulgada pelo parlamento britânico em dezembro, que revelava as táticas da empresa para enfrentar concorrentes e monetizar os dados de seus usuários.

O Facebook não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

O comitê recomendou que as leis que controlam a privacidade, proteção de dados, normal antitruste e defesa da competição sejam usadas para cercar as empresas.

 

Fonte: Folha de São Paulo