Foto: Angelo Balma / PSA

Só nessa semana já foram registrados quatro assaltos a mão armada, além de duas invasões em galpões.

Na terça-feira os criminosos agiram na ruas Figueiras, Jequitinhonha e Tietê (também alvo de invasões recorrentes em empresas). A população, por medo, prefere não se identificar, mas garante que, mesmo com a realização de boletins de ocorrência e divulgação dos casos, a situação parece estar longe de melhorar.

“Começamos a investigar por conta mas, depois, nos reunimos com a Polícia Militar e a situação melhorou. Até homenageamos os agentes que, dois meses depois, pegaram dois ladrões”, contou um empresário.

Para ele, a ação, porém, pareceu temporária, e teme que a situação se agrave. “Temos colegas que foram assaltados até nove vezes. Precisamos de uma ação definitiva. Todo dia temos relatos de furto e roubo, seja nas empresas, na frente das residências, ou na rua mesmo”, reclamou o empresário. “Agora quem aumentou a ronda no bairro foi a GCM (Guarda Civil Municipal), vamos ver até quando”, pontuou.

Outra empresária, que também é moradora do bairro, foi uma das pessoas que sofreu com ataques criminosos recorrentes. Só neste ano, ela e o marido já foram alvo de sete assaltos, sendo dois a mão armada. “Fora isso, meu marido presenciou um roubo a estepe de carro, chamou a polícia, mas os agentes disseram que não podiam fazer nada porque o criminoso não estava com nada. No dia seguinte, voltaram e levaram o nosso (estepe)”, reclamou.

As ações dos criminosos são sempre parecidas, conforme relato das vítimas. Os assaltos a mão armada acontecem, em sua maioria, com dois criminosos em uma motocicleta, que roda o bairro e praticam crimes seguidos. “Sabemos que são os mesmos porque compartilhamos em um grupo de WhatsApp imagens de câmera de segurança que temos nas empresas, casas e prédios”, informou um morador. “Nas empresas, eles costumam entrar pelo telhado, usando blusas como corda, e levam itens como fiação, torneiras, e até tampas de caixa de energia”, elencou o senhor.

Questionada, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que o policiamento no bairro Campestre, que é realizado pelo 10º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitana) ”será intensificado com base na análise dos índices criminais.”

Para tentar coibir a ação dos criminosos, a  GCM (Guarda Civil Municipal) de Santo André e o Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos), da Polícia Civil, realizaram na tarde desta quarta-feira (28) uma operação no bairro Campestre, com o objetivo de coibir ações criminosas como furtos e roubos.

A Operação Bairro Seguro realizou bloqueios e rondas nas principais vias da região com o auxílio das equipes da Romo (Rondas com Motocicletas) e Romu (Rondas Ostensivas Municipais), e dos agentes da Polícia Civil, priorizando o bem-estar e a segurança dos moradores e comerciantes do bairro. A ação vai continuar nos próximos dias com foco na saturação dos delitos.

“A operação é fruto da análise criteriosa dos índices criminais e apontamentos que recebemos dos moradores e comerciantes. Mantemos o nosso compromisso de melhorar cada vez mais a segurança para a população com a colaboração das forças policiais da nossa cidade”, destacou o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB).

O secretário de Segurança Cidadã, Edson Sardano, destacou a importância da realização de ações como esta. “Estamos atendendo a uma demanda da população do bairro junto com a nossa GCM e com apoio do Garra. Hoje mesmo nos reunimos com o alto comando da Polícia Militar e o prefeito Paulo Serra e, entre os assuntos, tratamos da continuidade das operações no bairro e em outras localidades onde os indicadores criminais apontem alguma alteração importante”, frisou.

Durante a operação uma pessoa foi presa na avenida Prestes Maia, altura do número 170. O indivíduo portava quatro celulares roubados de um estabelecimento comercial. Estes aparelhos roubados eram utilizados pelos funcionários da empresa no momento da ocorrência.

Um dos funcionários, após a deflagração do delito, acionou a GCM que já atuava nas ações de saturação do bairro e realizou a perseguição do indivíduo, com o auxílio das equipes da Romo. A ocorrência foi registrada no 4º DP (Jardim) de Santo André e o detido se encontra à disposição da Justiça.

DGABC

Deixe uma resposta