O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) está sendo pressionado por gigantes do varejo para que reedite o programa de suspensão de contrato de trabalho e redução de salário.

Associação que integra redes como Centauro, Riachuelo e Habib’s, o IDV voltou a se reunir ontem (05). O objetivo é produzir nova mensagem para enviar ao Ministério da Saúde para demonstrar o desejo de celeridade por parte do governo federal.

Presidente da entidade, Marcelo Silva afirmou, segundo a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, que a maioria dos varejistas está segurando cortes enquanto espera a medida.  “Os estados fecharam as atividades, e os empregados foram para casa. As empresas ficam sem receitas, mas com custos. Em 2020, essa medida foi importantíssima para segurar o emprego”, disse.

Na reunião do IDV no mês passado, o setor já tinha saído com a conclusão de que pode vir uma onda de demissões em massa se o governo demorar para retomar o programa.

Folha de S. Paulo

Deixe uma resposta