Haddad cancelar 17 mil multas graças a erro em radar

Da redação

Em meio à disparada de multas de trânsito, um erro de aferição em um radar de controle de velocidade obrigou a gestão Fernando Haddad (PT) a cancelar 17.094 autuações indevidas de motoristas que rodavam pela zona leste da cidade de São Paulo.

Trata-se de um recorde de anulações simultâneas de multas na capital, reconhece a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A quantidade equivale a 65% de todos os flagrantes de infrações feitos por mais de 850 equipamentos na cidade em um dia.

O radar instalado na avenida Marechal Tito, a 30 metros da rua Engenheiro Manuel Osório, em São Miguel Paulista (zona leste), apresentou falha na aferição da velocidade, cujo limite é de 40 km/h.

As multas erradas, diz a gestão Haddad, se referem ao período de 29 de outubro a 9 de novembro do ano passado. A falha só foi confirmada neste ano, após questionamentos de condutores de ônibus. Em média, houve uma multa errada por minuto.

A prefeitura diz que, apesar do envio de notificações, as multas foram anuladas e os pontos não foram lançados na carteira de habilitação. O equipamento em que houve a falha fica ao lado da faixa exclusiva de ônibus à direita, flagrando ainda motoristas de carros à esquerda.

O volume de queixas diante do aumento das multas naquele local levou à mobilização do sindicato dos motoristas e cobradores de São Paulo –que, para provar a falha, confrontou os dados das velocidades registradas com os registros dos tacógrafos (equipamentos que gravam dados de distância percorrida e velocidade nos coletivos).

Esse radar teve uma média diária de multas 57% superior à do ponto de fiscalização campeão de autuações na cidade –um conjunto de cinco radares na avenida dos Bandeirantes, na altura do viaduto Washington Luís.

Pesquisa Datafolha aponta que 24% dos paulistanos receberam multas de trânsito nos últimos 12 meses –ante 14% dois anos atrás. Do total, 47% culpam os próprios motoristas pelo alto volume de multas, mas saltou de 10% para 23% os que responsabilizam os radares.

A gestão Fernando Haddad (PT) admite a falha nos registros do radar, mas afirma que os erros foram corrigidos. Embora diga que apenas notificações –documentos que alertam para um posterior envio da multa– tenham sido enviadas aos motoristas, a administração afirma que é possível ressarcir quem pagou multas indevidamente.

A devolução automática pode ser feita pela internet, por meio do site da Secretaria Municipal de Finanças. No entanto, a secretaria diz não haver registros de pagamentos indevidos. A Secretaria Municipal de Transportes diz que motoristas receberam as notificações de multas, mas antes da emissão delas foram canceladas. Os notificados, porém, não receberam comunicado informando sobre a anulação.

 

Sem título