Hong Kong pede que atletas não façam sexo no Brasil e proíbe saídas da Vila Olímpica

_90322745_riodejaneiro_segurancaDa redação

Não deixar a Vila Olímpica, não manter relações sexuais durante a viagem e dormir protegido por um mosquiteiro. Essas são algumas das recomendações que os 65 membros da delegação de Hong Kong – 33 atletas confirmados – receberam do governo local como parte da preparação prévia ao embarque para os Jogos Olímpicos.

Ao lado da segurança, a epidemia de zika no Brasil é grande preocupação da equipe, que participa de sua 16ª Olimpíada.

 

Um documento detalhando os números da zika no Brasil, formas de transmissão e medidas preventivas foi distribuído aos atletas. Nele, é recomendado evitar relações sexuais durante a viagem.

 

Para garantir que o vírus não seja importado, o Departamento de Saúde recomenda de 2 a 6 meses de abstinência sexual ou uso de preservativo. O período é maior para aqueles que tiverem diagnóstico positivo ou apresentarem sintomas de zika.

A OMS publicou na última semana recomendações para viajantes com destino ao Brasil. Mulheres grávidas, por exemplo, são desaconselhadas de embarcar.

 

Hong Kong não teve nenhum caso de zika registrado até agora, mas 114 pessoas foram infectadas pela dengue no último ano. O Aedes aegypti não é encontrado no território chinês, mas outro mosquito similar, o Aedes albopictus, também é capaz de transmitir o vírus.

 

_90322749_hk2
O Comitê Olímpico de Hong Kong apresentou dois modelos de mosquiteiros como parte do kit para os Jogos Olímpicos

Além de uniformes cobrindo braços e pernas, os atletas hongkongueses também levam na bagagem um repelente elétrico e outro para aplicação na pele. Todos receberam uma lista de vacinas recomendadas antes do embarque, entre elas febre amarela e Hepatite A.

As notícias de atletas sendo assaltados na cidade sede dos Jogos cruzou o oceano e é algo impensável para os padrões locais.

Com 7,2 milhões de habitantes, Hong Kong é uma das cidades mais seguras do mundo. Em 2015, a polícia registrou 22 homicídios. Roubos e furtos também são raros.

Pela primeira vez em uma Olimpíada, atletas do território não estarão autorizados a deixar a Vila Olímpica. Qualquer saída ficará sujeita a aprovação especial.