Indústrias reduzem 1.150 postos de trabalho em abril na Região

Diversos setores sofreram perdas no nível de emprego na Região, principalmente em São Caetano e São Bernardo. Foto: Andréa Iseki
Diversos setores sofreram perdas no nível de emprego na Região, principalmente em São Caetano e São Bernardo. Foto: Andréa Iseki

As indústrias instaladas no ABCD reduziram aproximadamente 1.150 postos de trabalho em abril, o que representa uma variação negativa de 0,59% para o mês. É o que aponta levantamento realizado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e divulgado nesta terça-feira (17/05).

O índice de nível de emprego industrial da Região foi influenciado pelos resultados negativos de diversos setores, entre eles o de bebidas (-26,09%), metalurgia (-1,09%), veículos automotores e autopeças (-0,68%) e produtos químicos (-0,66%).

Por outro lado, apresentaram variações positivas setores como o de produtos farmacêuticos (1,01%), alimentícios (0,56%), borracha de material plástico (0,46%) e petróleo e biocombustíveis (0,47%).

Na Região, a regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de São Caetano foi a que registrou o maior número de desligamentos. Foram cerca de 500 postos de trabalho eliminados na cidade puxados pelo setor de veículos automotores e autopeças.

Em São Bernardo, a quantidade de cortes atingiu 400 trabalhadores, principalmente nos setores ligados ao setor automotivo, e também moveleiro e o de bebidas. Para o diretor titular da Ciesp na cidade, Mauro Miaguti, o resultado, mesmo negativo, surpreende por não estar em patamares excessivamente altos.

“Chegamos a ter o dobro de desligamentos nas indústrias instaladas no município, mas neste mês houve impacto do fechamento efetivo da Bacardi. No geral, não existe expectativa de melhora efetiva de uma hora para outra, mas acredito que nos próximos meses tenhamos uma indicação de algo que irá melhorar devido aos efeitos políticos”, disse.

Em Santo André houve corte de 150 postos de trabalho, mesmo número que em Diadema.

Estado

Em São Paulo, a Federação registrou perda de quatro mil postos de trabalho durante o mês de abril, tendo pior desempenho no segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias, com saldo de 2.309 demissões no mês. Já o setor que se destacou positivamente foi o sucroalcooleiro, responsável pela alta de 7.073 postos de trabalho no período.

Apesar do saldo negativo, o gerente do Depecon, Guilherme Moreira, acredita que o ritmo de demissões diminuirá, se comparado ao registrado no último ano e que esta será a tendência para os próximos meses. “Com o forte ajuste que a indústria tem feito desde o ano passado nossa esperança é que as demissões comecem a perder ritmo”, disse.

Fonte: ABCD Maior