Inédito! Há quatro anos a América era corintiana

Por Matheus Angioleto
corinthians libertaNo dia 4 de julho de 2012 o mundo do futebol acordava com uma expectativa: a final da Copa Libertadores da América entre Corinthians e Boca Juniors. Muitos não acreditavam, mas a história começaria a ser escrita pelos comandados de Tite e por 38 mil torcedores do bando de loucos.

Romarinho havia marcado o gol de empate na La Bombonera e a decisão chegava ao Pacaembu, onde o time seria campeão com oito vitórias e seis empates.

Após primeiro tempo morno, o jogo ia para a segunda etapa com o zero marcando o placar e muita agitação no meio campo, com domínio do Corinthians. Aos 8 minutos Alex cobrou falta, a bola ficou perdida no meio da área, Danilo tocou de calcanhar para Emerson encher o pé e abrir o placar para o Timão.  Aos 27, Schiavi errou o passe no meio do campo e deu a chance para Emerson Sheik puxar um contra-ataque e marcar o segundo gol na partida.

O Cristóvão Colombo do Parque São Jorge naquele 4 de julho era Emerson Sheik, que marcou os dois gols da vitória e deu fim às brincadeiras dos adversários. O grito que estava entalado na garganta há 101 anos finalmente poderia ser colocado para fora. O Corinthians era o dono da América.

O time: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex (Douglas – 43/2ºT); Emerson Sheik (Liedson – 46/2ºT) e Jorge Henrique (Wallace – 46/2ºT). Técnico: Tite