Com exclusividade Julinho Fuzari afirma: sou contra aumento no salário dos vereadores

Por Marianna Fanti

O vereador de São Bernardo do Campo, Julinho Fuzari, e atual presidente do diretório municipal do PPS (Partido Popular Socialista), falou na última quinta-feira (23) com exclusividade ao Portal da TV Mais sobre seu mandato, participação na câmara municipal – na qual é considerado o principal opositor do governo Marinho (PT), e sobre a disputa ao Paço Municipal.

Denúncias

Eleito vereador pela primeira vez em 2012, Julinho ganhou visibilidade graças as denúncias de combate à corrupção de sua autoria, entre elas a CPI da merenda, CPI da catarata e CPI dos uniformes – esta última culminou com o julgamento da ex-secretaria de Educação, Cleuza Repulho, realizado dia 13 de novembro deste ano.

Mandato

Fuzari é autor de várias emendas – já sancionadas, entre elas: emenda que proíbe a ideologia de gênero nas escolas municipais; emenda que torna obrigatória a comemoração do dia dos pais e das mães nas escolas do município; emenda contrária ao projeto de lei encaminhado pelo prefeito propondo o aumento da tarifa da iluminação pública. Também é autor do projeto de lei que obriga todos os bares e restaurantes do município a incluírem em seus cardápios, e materiais de divulgação, as seguintes frases: “Se beber não dirija” e “Drogas não”.

Com exclusividade, o parlamentar posicionou-se contra um possível aumento de salário para vereadores que pode ocorrer em agosto. “Votei contra o aumento de salário para prefeito, vice-prefeito e secretários, e votarei contra novamente. Acho que não vivemos um momento politico e econômico para isso, temos que ser coerentes”, afirmou.

Eleições 2016

Presidente municipal do PPS em São Bernardo do Campo, Julinho garante que está confiante na candidatura para prefeito do deputado federal Alex Manente (PPS). “Ele (Manente) lidera todas as pesquisas de intenção de votos, e tem o menor índice de rejeição”, garante o parlamentar que ainda arriscou o palpite de que o partido fará a maior bancada da câmara municipal – com oito cadeiras.