Lava Jato inicia investigação em bancos

1618952Da redação

A 32ª fase da Lava Jato abriu uma nova fase de investigação da operação: bancos e instituições financeiras que são operados de forma clandestina no Brasil para lavagem de dinheiro, nesta quinta-feira (7).

O banco panamenho FPB Bank – mesmo sem autorização para operar no Brasil, tinha site em português e abria contas clandestinamente no exterior, para clientes brasileiros. A suspeita é que parte do dinheiro tenha origem em atividades ilegais.

Os investigadores da Lava Jato confirmaram que existem outros bancos em situação semelhante que estão sendo objeto de investigação.

Os alvos da operação são os representantes do FPB no Brasil que trabalhavam em escritórios clandestinos, situados em São Paulo, São Bernardo do Campo e Santos.

Os funcionários investigados são: Edson Paulo Fanton, Isidora Maria Solano Carmona, Celina Daiub Pirondi Tedesco, Marilena Alves Ferreira, Elizabeth Costa Lima, Edsel Okuhara e Carla Fabiana Di Giuseppe.

A suspeita dos investigadores é que a instituição tinha “um papel importante” ao transferir dinheiro para fora do país – e, por funcionar clandestinamente, serviria como um intermediário de propinas.

A PF ainda não tem estimativa de quanto o banco movimentou no Brasil e nem quantos clientes possuía. Também não foram relevados os nomes dos clientes.