Mais uma vez Semasa culpa Sabesp pela falta de água

Da redação
Após recebermos uma série de denúncias em nosso portal sobre a falta de água que acomete diversos bairros de Santo André, o Semasa se pronunciou a respeito do fato por meio de nota encaminhada nesta terça-feira (2).
Entre os bairros que sofrem com a falta de água estão: Parque Novo Oratório, Jardim Utinga, Vila Floresta, Parque João Ramalho, Jardim Las Vegas, Jaçatuba, Parque Capuava, Jardim Ana Maria, e Jardim Bom Pastor.
Vale salientar ainda, que a Sabesp arrasta uma briga jurídica contra o Semasa. A autarquia municipal é acusada de dever a importância de R$ 3,2 bilhões, que deveriam ter sido pagos até abril deste ano.
Cabe ressaltar também que em novembro de 2015, o Semasa enviou requerimento ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) pedindo a abertura de Inquérito Administrativo contra a Sabesp para Apuração de Infração à Ordem Econômica.

O requerimento visa demonstrar que a Sabesp possui poder de monopólio da água no atacado e vem praticando preços abusivos que sufocam financeiramente os serviços autônomos na Região Metropolitana de São Paulo. O documento também comprovava, com base em estudos que comparam preços em diferentes países, que a Sabesp teria a tarifa de atacado mais cara do mundo – tarifa de R$ 1,81 pelo metro cúbico da água.

Leia nota na íntegra:
De maneira geral, a cidade toda sofre com intermitência por causa da baixa vazão da Sabesp, que envia para a cidade 95% da água utilizada no abastecimento. Ocorre que a entrega de água tem sido com muita frequência menor nos período do dia de maior consumo, o que faz com que vários bairros recebem água principalmente durante a noite e a madrugada, quando o consumo é menor. Aliado a isso, tivemos problemas técnicos pontuais neste final de semana no Setor Erasmo e nesta madrugada no Setor Camilópolis. Para estes dois setores, segue nota que estamos colocando no site agora.
Creio que a explicação acima e a nota têm a explicação para os problemas apontados pelos seus leitores“.
Sobre a deficiência nos setores Camilópolis e Erasmo
O Semasa informa que uma falha na válvula de entrada de água da Sabesp no reservatório Camilópolis provocou deficiência desde ontem no abastecimento dos bairros do setor. A válvula, que deveria ser aberta durante a madrugada, apresentou uma falha e a Sabesp só conseguiu resolver o problema por volta das 9h. O abastecimento do setor Camilópolis deve se normalizar ao longo dia. O setor compreende os seguintes bairros: parte do Parque Oratório e do Parque das Nações, e ainda Vila Nelson, Vila Bartira, Vila Olga, Vila Lucinda, Jardim das Maravilhas, Jardim Utinga, Camilópolis, Vila Leonilda, Vila Metalúrgica, Vila Regina e Vila Matarazzo. 
Já a baixa adução de água da Sabesp aliada a problemas técnicos têm provocado deficiência no abastecimento desde o último final de semana nos bairros atendidos pelo reservatório Erasmo Assunção. No dia 30/07, o reservatório precisou ser fechado às 12h30 por causa da baixa vazão da água entregue pela Sabesp. No dia seguinte, a vazão ainda não havia sido normalizada quando o Semasa constatou um vazamento na rua Raul Pompeia, o que obrigou a autarquia a fechar o local para efetuar o reparo na rede de distribuição. Após a manutenção, o Semasa não pode reabrir o reservatório, pois a água enviada pela Sabesp continuava insuficiente. O setor só pode ser reaberto às 9h de hoje e o abastecimento deve se normalizar também ao longo do dia.
O Semasa lamenta os transtornos e informa que, na semana passada, iniciou melhorias no reservatório Erasmo. O objetivo das intervenções é tornar mais ágil a recuperação do nível de água do equipamento. O Erasmo abastece os seguintes bairros: parte dos parques Oratório, Erasmo Assunção e João Ramalho, e ainda Jardim Alzira Franco, Jardim Rina, Parque Capuava, Parque Novo Oratório, Jardim Santo Alberto, Jardim Itrapoã, Pólo Petroquímico Capuava e Jardim Ana Maria“.