Malha de SBC leva bronze nos Jogos Abertos

Há três gerações, o jogo da Malha é parte central na vida da família Dalarme, que defende São Bernardo na 81ª edição dos Jogos Abertos do Interior (JAI) “Horácio Baby Barioni”. Passada de pai para filho, a tradição no esporte já rendeu importantes conquistas para a cidade, como o bicampeonato – invicto – na competição estadual, em 2016, e inúmeros pódios em Jogos Regionais. Nesta edição, a família garantiu mais uma medalha para a coleção, após conquistar o bronze, em partida realizada na manhã desta sexta-feira (24), no Clube de Malha de São Bernardo do Campo, no bairro Baeta Neves.

Composta por cinco integrantes, sendo três membros dos Dalarme, a equipe de São Bernardo superou o time de Sorocaba por 130 a 112, após ceder a vaga na grande final para o time de Piracicaba na quinta-feira (23). Apesar da alta expectativa em jogar em casa, a terceira colocação não desanimou o capitão do time. “Estamos felizes com esse bronze, apesar da querermos muito ser campeões jogando em casa. Fizemos o melhor e o terceiro lugar está de bom tamanho para nós”, destacou Leandro Francis Dalarme.


Assim como seu irmão mais novo Rafael Aparecido Dalarme – hoje técnico da equipe –, Leandro herdou a paixão pela Malha de seu pai, hoje já falecido. “Comecei a jogar aos 20 anos por influência do meu pai, que também praticava o esporte, e nunca mais consegui parar. É um esporte viciante. Não consigo ficar nem um final de semana sem jogar, chego a ficar inquieto em casa”, contou. Seu “vício” pela Malha também despertou em seu filho Davi Vieira Dalarme, de 20 anos, o gosto pela modalidade.


Praticante desde os sete anos, Davi é grande entusiasta do esporte e apesar da juventude, já fala em repassar a tradição adiante. “Praticamente minha família inteira joga a Malha. Quero um dia repassar para os meus filhos, com certeza. É um esporte para todos, independentemente da idade. Sempre trago meus amigos e tento divulgar ao máximo, porque é um esporte bom, onde não tem maldade ou briga. É muito de união, por isso seria bom se mais gente praticasse”, disse. A equipe medalhista também é formada por Danilo Rocha Dalarme, Carlos Roberto Nobre Molinari e Emerson de Oliveira Zornoff.