Marinha Argentina afirma que houve uma explosão horas após o desaparecimento do submarino

O porta-voz da Marinha Argentina, capitão de navio Enrique Balbi, afirmou hoje (23) que recebeu a comunicação de que “houve um evento anômalo, singular, curto, violento e não nuclear, consistente com uma explosão” horas após a desaparição do submarino ARA San Juan e na mesma região em que ele se encontrava.

O submarino desapareceu no último dia 15, com 44 pessoas a bordo. Uma megaoperação internacional continua buscando a embarcação, que manteve seu ultimo contato há oito dias. Mas as esperanças de encontrar alguém com vida são menores.

Ontem (22) à noite, o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi, informou que uma “anomalia hidroacústica” tinha sido registrada três horas após o submarino ter se comunicado com a base, pela ultima vez, às 7h30 de quarta-feira da semana passada (15).

Navios e aviões foram enviados para investigar a origem do barulho, 30 milhas ao norte do local onde o submarino estava.

Segundo Balbi, essa informação só pode ser liberada oito dias após o ruído ter sido produzido porque estavam comparando informações. Encontrar submarinos é difícil, porque são construídos para não serem detectados, e o mar não é um lugar silencioso, o que dificulta a busca – feita com sonares e radares.