Metodista pode demitir ao menos 55 professores dos cursos de graduação e pós

Ao menos 55 professores da graduação e pós-graduação da Escola de Comunicação, Educação e Humanidades da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) deverão ser demitidos nas próximas duas semanas. A justificativa são cortes de custos.

Porém o problema vai além. Das licenciaturas oferecidas pela instituição, apenas o curso de Pedagogia manterá o quadro. Os cursos de Filosofia, Ciências Sociais, Letras e Educação Física devem ser encerrados em 2018. Assim como existe a possibilidade da instituição acabar com a pós-graduação em Administração.

Professores também sofrem com atrasos de pagamentos mensais, além do fundo de garantia – tanto de professores quanto de funcionários administrativos, que está atrasado desde 2015.

Possível causa dos problemas

Nos últimos anos a instituição vem sendo administrada pela Rede Metodista de Educação. Trata-se de um órgão interno que não existe como pessoa jurídica, mas que gere as questões financeiras de todas as instituições de ensino Metodista.

A Rede foi criada para garantir a saúde financeira de todos. Porém todas instituições de ensino geridas pela Metodista passaram a apresentar déficit.

A Rede deve gerir as questões financeiras das instituições, enquanto as questões acadêmicas deveriam ficar por conta das comunidades e reitoria dos estabelecimentos.