Ministério Público pede cassação de Auricchio e Vidoski

O promotor de justiça de São Caetano, Newton José de Oliveira Dantas, pediu a cassação do mandato e da diplomação do prefeito José Auricchio Júnior e de seu vice Roberto Vidoski. Ambos são acusados de receber doações irregulares de Ana Maria Comparini e de Maria Alzira Garcia Correa Abrantes durante a campanha eleitoral de 2016. O montante chegou a R$ 643 mil.

As duas tem parentes na empresa Globo Contábil, contratada para fazer a contabilidade da campanha tucana e cujo sócio administrador, Eduardo Abrantes, teve a atuação em campanhas eleitorais suspensa pela Justiça após a denúncia.

As doações são consideradas irregulares porque não correspondem à renda informada nas declarações prestadas à Receita Federal no ano anterior. As doadoras teriam que ter uma renda superior a R$ 3 milhões cada uma no ano de 2015.