Mitos e verdades sobre maquiagem definitiva

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A maquiagem definitiva é uma opção às mulheres que desejam ter mais facilidade na make do dia a dia, sem necessidade de se preocupar com a manutenção, ou mesmo realçar ou corrigir contornos do rosto.

“Hoje em dia, o termo mais utilizado para a maquiagem definitiva é micropigementação ou dermopigmentação”, explica Jeniffer Freitas, cosmetóloga e instrutora de treinamentos na JM Stetic e nas franquias Sobrancelhas Express.

O método muito utilizado nos lábios, olhos e sobrancelhas também pode ser usado para corrigir calvície e realçar as aréolas dos seios.

Nas aréolas, a técnica é mais utilizada quando a mulher passa por uma reconstrução mamária, por exemplo, uma vez que é possível redesenhar o contorno e coloração da área com naturalidade, além de camuflar algumas cicatrizes geradas pela cirurgia de câncer mamário.

Na boca, permite dar novos contornos ou corrigir falhas nos lábios que as mulheres vão ganhando com o avançar da idade.

“As técnicas e os produtos usados evoluíram e, atualmente, não são usados pigmentos com metais pesados”, afirma Luciana Macedo, coordenadora do Ambulatório de Cosmiatria da Residência de Dermatologia do Hospital Heliópolis e diretora da Clinique des Arts, de São Paulo.

Seguindo cuidados, este tipo de maquiagem pode durar até 2 anos – em geral dura de 1 a 1,5 ano. É importante, porém, usar protetor solar e evitar, nas regiões micropigmentadas, cosméticos com ácidos em sua formulação.

“Vale ressaltar que as mulheres que optarem por realizar o procedimento devem buscar saber mais sobre a técnica e procurar clínicas e profissionais especializados e confiáveis para realizar a maquiagem definitiva e, assim, evitar resultados indesejados”, alerta a Luciana.

Foi o que fez Dulvinea Pacheco. “Devido à agitação do dia a dia e nem sempre ter a disponibilidade de um maquiador profissional, optei por realizar a maquiagem definitiva nas minhas sobrancelhas para estar sempre pronta para trabalhar, ou mesmo para uma festa”, conta.

De acordo com ela, após 7 meses do procedimento, só há motivos para elogios. “Claro que segui as recomendações da profissional, e não tive surpresas com mudança de cor ”, pontua.

Tire suas dúvidas

Para saber mais sobre a técnica, revelamos 8 verdades e mitos sobre a maquiagem definitiva. Confira as dicas de Jeniffer Freitas e Luciana Macedo.

1. Maquiagem definitiva é a mesma coisa que tatuagem?
MITO.  A tatuagem atinge a derme mais profunda da pele, enquanto na micropigmentação é trabalhada na camada mais superficial, logo abaixo da epiderme.

2. É preciso raspar ou tirar todos os pelos da área escolhida para o procedimento?
MITO. Para fazer a micropigmentação, o profissional mantém os pelos já existentes. No caso das sobrancelhas, faz um design trabalhando o visagismo facial, aproveitando o que a mulher já tem, para que o aspecto fique o mais natural possível.

3. Vai durar para sempre?
MITO. Como é feita em uma camada de pele mais superficial, a micropigmentação dura em média de 12 a 18 meses, dependendo da manutenção.

4. Minhas sobrancelhas ficarão pretas?
MITO. Cada pessoa tem o seu fototipo (tonalidade de pele) e é a partir dele que se escolhe a cor do pigmento que será utilizado no procedimento. O pigmento preto não é utilizado em sobrancelhas, que levam apenas os tons de castanhos e marrons.

5. Os materiais são descartáveis?
VERDADE. Sim, todos os materiais utilizados durante o procedimento são descartáveis, como agulhas, batoques, pigmentos, algodões, toucas, luvas, lençol da maca etc. Cada cliente tem o uso exclusivo desses materiais.

6. Após o procedimento nas sobrancelhas, devo aplicar pomada cicatrizante?
MITO. Não se deve aplicar nada, além do filtro solar após 24 horas do término do procedimento. Uma pomada vai acelerar o processo de cicatrização da pele e fazer com que a cor desbote ou fique clara e embaçada.

7. Todas as pessoas podem fazer a micropigmentação?
MITO. Pessoas alérgicas aos pigmentos e anestésicos, portadoras de doenças crônicas de pele e propensas a cicatrizes devem evitar a micropigmentação. O procedimento também não pode ser feito em gestantes e pessoas com queloide. No caso dos diabéticos, somente com autorização médica, e quem tem hipertensão só é liberado se a doença estiver controlada.

8. A micropigmentação é muito dolorosa?
MITO. Com o uso de anestésicos tópicos, o procedimento é bem tolerado. O que pode ser sentido é um leve desconforto, no máximo.

Fonte: Disney Babble