Mortes nas rodovias entre o fim do ano e o Carnaval caem 16%

Da redação

Foto: Jonny Ueda/Futura Press

O número de mortes nas rodovias federais caiu 16% entre as festas de fim de ano, férias escolares e o Carnaval, em comparação com o mesmo período de 2015/2016. O balanço da Operação Rodovida, divulgado na última terça-feira (28), mostra que 973 pessoas morreram nas rodovias federais do País entre o fim do ano passado e o fim de fevereiro. Na operação do ano anterior, 1.259 pessoas morreram. Assim, os acidentes graves causaram um média de 16 mortes por dia, ante uma média de 19 por dia no período anterior.

O objetivo da Operação Rodovida é diminuir a violência, o número de acidentes e mortes no trânsito durante o período de movimento intenso nas estradas. A ação é coordenada pela PRF, integrada com órgão federais e ministérios, em articulação com estados e municípios.

Números

Como a cada ano as operações ocorrem em períodos diferentes, em razão do feriado flutuante do Carnaval, os dados de acidentes e vítimas são calculados pela média diária. De 16 de dezembro de 2016 a 5 de março de 2017, a PRF registrou 2.663 acidentes graves, aqueles que resultam em feridos graves ou mortos, contra 3.946 contabilizados em 2015/2016. Houve uma redução de 29% na média diária, de 61 acidentes por dia em 2015/2016, para 43 acidentes por dia em 2016/2017.

Entre as vítimas feridas, estão 15.702 pessoas, média de 253 por dia. Houve redução de 9% em relação a 2015/2016, quando foram registrados 17.997 feridos, média de 277 por dia.

Mais de 1,5 milhão de pessoas foram fiscalizadas durante os três meses da operação. As fiscalizações resultaram em mais de 588 mil autuações – 8.551 por alcoolemia, 4.783 por falta do uso da cadeirinha e 66.774 por ultrapassagens irregulares. O excesso de velocidade foi o campeão de autuações no período, com 521.887 flagrantes.

*Informações Portal Brasil