Início Política ABC Na Semana Nacional de Trânsito, Consórcio ABC promove debate sobre pedestres e...

Na Semana Nacional de Trânsito, Consórcio ABC promove debate sobre pedestres e motociclistas

Encontro virtual discutiu educação no trânsito para a formação das crianças, regulamentação do motofrete e implementação de programas permanentes

 

 

 

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC promoveu, nesta segunda-feira (21/9), uma live para discutir como pedestres e motociclistas podem ter uma rotina mais segura no trânsito. Transmitido por meio da página da entidade regional no Facebook, o evento virtual integrou o calendário de ações da Semana Nacional de Trânsito.

Com moderação do do secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, participaram do debate José Aurélio Machado, diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV); Marcelo Marques da Costa, diretor Jurídico e Financeiro da Associação dos Motofretistas de Aplicativos e Autônomos do Brasil (AMABR); e Nazareno Stanislau Affonso, diretor nacional do Instituto Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos (MDT).

O diretor-presidente do ONSV destacou a importância da educação no trânsito para a formação das crianças, estimulando-as a tornarem-se adultos conscientes, e apresentou uma cartilha com dicas para os municípios. “Nosso objetivo é ajudar os municípios a avançarem nas ações de educação no trânsito”, afirmou Ramalho.

O diretor da AMABR defendeu que a regulamentação da atividade de transporte de pequenas cargas, denominado motofrete, pode contribuir para a segurança no trânsito. “O motofrete é uma atividade de risco, pois o motofretista precisa trabalhar muitas horas por dia para se sustentar. Com isso, acabamos tendo um problema de saúde pública e de segurança no trânsito, o que pode ser percebido com o aumento da morte dos motociclistas”, explicou Marcelo Marques.

Por sua vez, o diretor nacional do MDT apresentou os pontos básicos para a implementação de um programa de paz no trânsito, entre elas a manutenção de iniciativas permanentes e o estímulo a uma “mídia cidadã”, que defenda o direito ao transporte público de qualidade. “A ideia não é fazer uma campa, mas um programa permanente de educação no trânsito”, afirmou Nazareno Affonso.

Deixe uma resposta