Não há nenhuma medida neste momento para volatilidade nos mercados

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta quarta-feira (12) que não há, neste momento, nenhuma medida a ser adotada pelo governo para enfrentar a volatilidade dos mercados com as eleições, reiterando que o monitoramento diário desse comportamento continuará sendo feito.

“O que existe são movimentos internacionas que têm pressionado moedas de países emergentes, como também o Brasil. Então nesse momento não tem absolutamente nada que a gente tenha que fazer”, disse ele após evento em Fortaleza (CE).

“O Banco Central e o Ministério da Fazenda sempre vêm acompanhando o mercado e o que nós sempre enfatizamos e falamos, e isso é o importante: o Brasil precisa continuar na sua trajetória de reformas”, acrescentou ele.

O ministro avaliou que o país tem contas externas “muito saudáveis”, com baixo déficit em transações correntes e expressivas reservas internacionais, mas que precisa “arrumar o lado fiscal”, notadamente com a reforma da Previdência.

Nesse sentido, voltou a dizer que se o novo presidente eleito concordar e quiser iniciar o processo de votação, o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, estão dispostos a seguir em frente com o plano após as eleições.

“Qualquer candidato que esteja comprometido com o processo de reformas, de modernização do Brasil, de redução de custo Brasil, de redução de custo tributário, de simplificação, de redução de burocracia e disciplina fiscal tem a minha simpatia”, disse.

Fonte: G1

Imagem: Reprodução/Internet