Netflix perde força e cresce menos do que o esperado

The Netflix Inc. website and logo are displayed on laptop computers arranged for a photograph in Washington, D.C., U.S., on Tuesday, Jan. 21, 2014. Netflix Inc., the largest subscription streaming service, is expected to release earnings data on Jan. 22. Photographer: Andrew Harrer/Bloomberg

Da redação

Netflix cresce menos do que o esperado no segundo trimestre deste ano, o resultado foi baseado na equiparação da política de preço das assinaturas.

De acordo com balanço financeiro da companhia, em junho, a empresa contava com 83,18 milhões de assinantes, sendo 79,9 milhões os titulares (ou membros que pagam a conta). A própria companhia reconhece que o crescimento de 1,7 milhão de novos membros está abaixo da previsão (2,5 milhões) e do registrado ao fim do segundo trimestre de 2015, quando cresceu 3,3 milhões.

A companhia também vê o crescimento de competidores no mercado de VOD como Amazon Prime, Hulu e YouTube Red, mas enxerga como um avanço geral das OTTs (over-the-tops) frente às horas consumidas em TV linear, e não em competição entre si. A empresa diz ainda não acreditar que a saturação de mercado seja um fator chave nos EUA. Observa aumento em vários países com desafios, citando a baixa renda no Brasil como exemplo, mas lamenta dificuldades de entrada na China.

A companhia prevê que no terceiro trimestre a base adicionará 2,3 milhões de acessos, totalizando 85,48 milhões (82,40 milhões pagantes). O crescimento será guiado pelo mercado internacional, que tem atualmente 36,05 milhões de assinantes (33,89 milhões de acessos pagos), aumento de 1,52 milhão. Nos Estados Unidos, a companhia conta com 47,13 milhões de acessos (46 milhões de assinantes pagos), aumento de 160 mil no trimestre.