São Paulo chega à final da Libertadores? Veja estatísticas

Maicon foi expulso a 17 minutos do fim; gols colombianos saíram depois
Maicon foi expulso a 17 minutos do fim; gols colombianos saíram depois

Se depender das estatísticas, as chances de o São Paulo superar o Atlético Nacional e chegar à final da Libertadores são pequenas. Desempenho como visitante, histórico do torneio, aproveitamento dos colombianos em Medellín, falta de gols, desfalques… tudo joga contra o Tricolor depois da derrota por 2 a 0, na quarta, no Morumbi. Para não depender dos pênaltis, o time de Edgardo Bauza precisa ganhar por três gols de diferença. Se fizer 2 a 0, disputa as penalidades.

OS TABUS:

Feito inédito: Nunca, na história da Libertadores, um time derrotado em casa por dois gols de diferença, na partida de ida da semifinal, conseguiu reverter o placar. Em 1989, o Olimpia reverteu o tropeço por 1 a 0 diante do Inter ao vencer por 3 a 2, no Sul, passando de fase nos pênaltis.

Visitante frágil: O São Paulo venceu apenas duas partidas no ano fora de casa nesta temporada, em 19 jogos. E os triunfos sobre Botafogo e Cruzeiro foram por apenas 1 a 0, placar que não serviria para o time de Bauza.

Seca de gols: A média de gols do São Paulo como visitante é péssima: 0.7 gol por partida, após marcar 14 vezes em 19 confrontos. Detalhe: o Tricolor só fez dois gols em um mesmo jogo longe de casa no empate em 2 a 2 com o Flamengo.

Vitória rara: Bauza já disputou 19 partidas como visitante em mata-mata da Libertadores, considerando suas melhores campanhas. Mesmo assim, venceu uma vez, empatou nove e perdeu outras nove.

Recorde colombiano: Rival do Tricolor, o Atlético Nacional conseguiu algo inédito na Libertadores. Pela primeira vez na história, um clube conseguiu vencer fora de casa no Brasil (contra o São Paulo), na Argentina (Huracán) e no Uruguai (Penãrol).

Invencível: Por falar no Atlético Nacional, o time de Rueda não perdeu em Medellín nesta edição da Libertadores. Foram quatro vitórias e um empate em cinco jogos. O único confronto sem triunfo ocorreu quando o Atlético atuou com os reservas, diante do Huracán, na última rodada da fase de grupos. Os colombianos fizeram 12 gols e levaram três.

Filme repetido: Assim na quarta-feira, duas eliminações recentes do São Paulo tiveram como culpado um expulso: Josué em 2006, diante do Internacional, e Lúcio em 2013, contra o Atlético-MG. Desta vez, o responsável por levar cartão vermelho foi Maicon.